Dica da Nutricionista – Vitamina K2

A vitamina K tem revelado ter um papel importante na saúde óssea, na redução da calcificação vascular e do risco cardiovascular.

Vitamina K é um termo genérico que engloba um conjunto de moléculas relacionadas estruturalmente. As pequenas diferenças nas estruturas dessas moléculas, dão origem às várias formas de vitamina K, sendo as mais conhecidas a vitamina K1 (filoquinona) e K2 (menaquinona).

Todas as formas desta vitamina apresentam as mesmas funções, promovem a ativação de proteínas com várias funções corporais, nomeadamente proteínas envolvidas na coagulação do sangue, osteocalcina, proteínas que atuam na cartilagem e parede dos vasos sanguíneos, entre outras. Contudo algumas delas parecem ter um impacto maior na saúde humana. Esse é o caso da vitamina K2 que tem revelado contribuir de forma única e importante para o papel da vitamina K na saúde, mostrando-se ser a mais eficaz na ativação destas proteínas.

Esta vitamina atua principalmente ao nível da:

  • saúde cardiovascular, reduzindo a calcificação coronária e por consequência o risco de doenças cardiovasculares, através da ativação de uma proteína inibidora da calcificação vascular, a proteína Gla da matriz. Para além disso, atua também ao nível da coagulação sanguínea, uma vez que é um cofator de várias proteínas produzidas no fígado envolvidas no processo de coagulação.
  • saúde óssea, ativando a proteína osteocalcina. A osteocalcina é a proteína mais abundante do osso e é responsável por estimular a atividade dos osteoblastos (células responsáveis pela síntese da matriz óssea), melhorar a fixação do cálcio no osso e a mineralização óssea. Vários estudos têm demonstrado défice de vitamina K2 em indivíduos com osteoporose, osteopénia e fraturas.

 

As fontes alimentares destes compostos também são diferentes. A vitamina K1 é encontrada em legumes de folha verde escura (por exemplo, espinafres, couves, brócolos). Por outro lado, a vitamina K2 é encontrada em alimentos animais e alimentos fermentados. As suas principais fontes são de origem microbiana, os seja, o queijo, requeijão e iogurte são fontes alimentares importantes.

 

A necessidade de vitamina K recomendada diariamente não difere entre os vários tipos, por isso a recomendação mais ajustada é a inclusão das várias fontes alimentares na dieta, tanto de K1 como de K2. Contudo, indivíduos que praticam alimentações específicas (com restrição por condição clínica ou por opção) podem apresentar baixos níveis de vitamina K, mas mais especificamente da K2.

Susana Francisco
Nutricionista
Membro da Ordem dos Nutricionistas nº3215N

Posts Recentes

Deixe um Comentário